segunda-feira, 10 de março de 2014

Sobre a série Cientistas Fluminenses

 Segue uma matéria que não é original aqui do Blog. É um texto  publicado no site www.rj.gov.br, no dia 10 de fevereiro.

 

 

Aumenta o número de instituições de ciência, tecnologia e cultura no Estado

 
 
 
Faperj lança o novo Mapa da Ciência, com acréscimo de 140 novos verbetes relacionados a entidades científicas. Lançamento inclui também o Dicionário da Política Republicana do Rio de Janeiro e a série Cientistas Fluminenses


Nos últimos dez anos, o Estado do Rio de Janeiro ganhou 140 novas instituições voltadas para a ciência, tecnologia e cultura, um acréscimo de 89% em relação ao último levantamento. A informação consta do Mapa da Ciência, publicação que será relançada no Palácio Guanabara no próximo dia 12, às 11h, agora em versão trilíngue – português, inglês e espanhol. A compilação foi feita pela primeira vez em 1999 e teve revisões lançadas em 2001 e 2004. A última apresentou 158 verbetes, enquanto a atual catalogou 298. O livro é produzido pelo Centro de Estatísticas do Rio de Janeiro (Ceperj), em parceria com a Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa (Faperj), vinculada à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia. Na ocasião, a Faperj lançará também o Dicionário da Política Republicana do Rio de Janeiro e a coletânea de biografias Cientistas Fluminenses.

Sobre as publicações

O Dicionário da Política Republicana do Rio de Janeiro visa colocar ao alcance da sociedade um painel informativo sobre a história política, econômica e cultural do Estado e da Cidade do Rio de Janeiro, a partir da proclamação da República, em 15 de novembro de 1889, até 2009. Na obra, encontram-se as biografias de todas as personalidades que se destacaram no mundo político-administrativo local, como governadores (Rio de Janeiro e Guanabara) senadores (Rio de Janeiro e Guanabara), deputados federais e estaduais (Rio de Janeiro e Guanabara), prefeitos do Rio de Janeiro, Niterói e Campos, Arcebispos do Rio de Janeiro e personalidades que se destacaram no campo cultural e científico. O Dicionário é uma publicação apoiada pela Faperj, com 1.452 páginas, organizada e produzida por pesquisadores do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Cientistas Fluminenses é a primeira série de uma coletânea de biografias de cientistas fluminenses, focando, inicialmente, dez nomes: Anísio Teixeira, Carlos Chagas, Carlos Chagas Filho, Cesar Lattes, Edgar Roquete-Pinto, Johanna Döbereiner, José Leite Lopes, Nise da Silveira, Oswaldo Cruz e Vital Brazil. Foi organizado pela Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (EdUERJ), em parceria com o Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), com o apoio da Faperj. O objetivo da coletânea é possibilitar a difusão e a popularização da ciência e da tecnologia junto à sociedade, em geral, atividade fundamental para despertar o interesse por essa área, sobretudo dos jovens.