segunda-feira, 1 de junho de 2015

Paula Glenadel ou a poesia de hoje

Como escreve Paula Glenadel? Qual é o seu lugar no panorama poético ou na contemporaneidade literária, as referências contidas em sua obra, as figuras preferidas e o tom de sua voz? Estas são questões trazidas por Inês Oseki, no lançamento de mais um volume da Coleção Ciranda da Poesia.

Paula Glenadel dissemina sua poesia sob formas variadas, em múltiplos registros: poemas, ensaios, palestras, traduções e, recentemente, o teatro. Raros são os poemas que ultrapassam 20 ou 30 versos.  A ausência de figuras de retórica é compensada pelo manejo preciso da sintaxe. 

Não se pode falar de um “sistema” preestabelecido, que consistiria em fazer coincidir formas e figuras, mas antes de uma música interna que tem base na organização sintática dos elementos, com construções gramaticais evidentemente rítmicas.

Essa compreensão da natureza íntima da obra de Paula Glenadel é de autoria de Inês Oseki, quem assina o 25volume da Coleção Ciranda da Poesia e cujo trabalho é reconhecido pelas várias revistas literárias nas quais colaborou com traduções, textos e ensaios sobre literatura ou tradução. 

Lançada em 2010, a coleção tem como objetivo impulsionar a leitura qualificada da poesia contemporânea brasileira e estrangeira, divulgar análises e contribuir com a tradução e divulgação de poetas ainda inéditos ou pouco conhecidos no país. Concebida pelo poeta e professor de literatura, Italo Moriconi, atual editor executivo da Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Eduerj),  a coleção tem como conselho editorial os professores Viviana Bosi, Marcos Siscar, Diana Klinger e Masé Lemos.


Por Carmem Prata
Jornalista, pesquisa tecnologias de comunicação e cultura
@carmem_prata

Paula Glenadel por Inês Oseki
R$ 25,00
116 p.
ISBN: 978-85-7511-351-6