segunda-feira, 12 de maio de 2014

O futebol sob o prisma da geografia histórica (RELEASE OFICIAL)

Um estudo do futebol sob o prisma da geografia histórica, englobando o período que vai desde o fim do século XIX até o ano em vigor, incluindo a realização da Copa do Mundo no Brasil. Esta é a proposta do professor e geógrafo Gilmar Mascarenhas em seu novo livro, “Entradas e Bandeiras: a conquista do Brasil pelo futebol” lançado pela EdUERJ.
                                                                                                                
A primeira parte do livro enfoca a importância da Inglaterra na difusão do futebol. Mascarenhas observa como os emigrantes ingleses, ao praticarem o esporte em terras estrangeiras, acabaram por divulgá-lo em escala mundial. Em seguida, aprofunda-se no caso Brasil, explicitando a forma negativa como o futebol foi inicialmente recebido por alguns setores do país, e como se deu a superação dessas resistências.

Assim, o autor oferece um panorama do desenvolvimento do esporte no país: da prática do esporte pelas elites, que o absorveram primeiro, até a gradual aceitação pelas classes populares. Ele trata da construção dos grandes estádios, como o Maracanã, e da realização da Copa de 50, indo além do enfoque Rio-São Paulo. A popularização do futebol é defendida com a perspectiva de que foi um elemento primordial na política de integração nacional.

Com um olhar no presente, Marcarenhas debate sobre o novo desafio que o país enfrentará agora: ser anfitrião de mais uma Copa do Mundo. Junto a isso, os fatores que a acompanham como o investimento em estádios e cidades-sede, o encarecimento do preço dos ingressos, a imposição de normas pela FIFA, as manifestações durante os jogos, entre outros.

Por fim, “Entradas e Bandeiras a conquista do Brasil pelo futebol” apresenta a expansão do esporte por todo o território e como ele se tornou mais do que um esporte para a nação, debatendo questões importantes como a metropolização do futebol, a concentração do capital em determinadas regiões e os caminhos sugeridos pela globalização.

(Release: Thais de Souza Araújo)